Porquê a Macrobiótica?

Porquê a Macrobiótica?

Uma das perguntas mais frequentes que me fazem é: “Porquê a Macrobiótica?

Faz sentido. Vivemos um Tempo em que os maus resultados de estilos de vida sem sentido se começam a sentir e a causar alarme na vida das pessoas com o surgimento cada vez mais frequente de doenças crónicas como o cancro, a diabetes, doenças auto-imunes etc (a lista é enorme!). A par deste Tempo em que tudo é rápido, superficial e não reflectido surgem uma série de soluções em consonância com este paradigma, para aliviar sofrimentos. Dietas (de todo o tipo e muitas assustadoramente pouco saudáveis), super foods a prometer saúde e vida para sempre, uma onda de terapias “New Age” (por onde saltitam muitos na esperança de um milagre), técnicas a prometer auto-conhecimento e consciência em modo automático, mestres “peritos” em todo o tipo de cura, etc, etc.

Andei por muitos destes caminhos desde cedo. De tudo aprendi um pouco, mas nada me satisfez como pilar sustentável de vida. O gosto pelo Orientalismo e acreditar que está dentro de nós tudo aquilo procurado normalmente no exterior, levou-me a duas grandes Tradições Milenares. A Ayurveda e a Medicina Tradicional Chinesa. Ambas assentam em textos e saberes sem tempo direccionados para  a saúde e longevidade numa vida vivida em Consciência. Francisco Varatojo levou-me à Macrobiótica (com muito de MTC, baseada nos ensinamentos do filósofo japonês George Ohsawa ) e foi lá que escolhi ficar. Porquê? porque faz sentido. Porque todos os seus princípios e valores fazem sentido. Porque a podemos aplicar no nosso dia-a-dia. E não, não é só uma dieta!!!!! (só conhece os alimentos como ninguém !!!)

Faz sentido:

Sentir gratidão por tudo (mais ou menos favorável), aceitar a jornada de cada um sem julgamento, aceitar a impermanência de tudo, auto-reflectir de forma a olhar a vida duma perspectiva Maior, ter a capacidade de influenciar a nossa vida, aprender que corpo e Natureza são Um (todos somos Um), viver segundo a Ordem do Universo e entender que os alimentos, a sua selecção e preparação teem um propósito para cada um de nós.

Faz sentido, pois só assim ganhamos a adaptabilidade necessária para viver conscientemente em liberdade.

Faz sentido, cultivar a semente que irá trazer saúde individual e global, felicidade, paz, consciência ecológica e social.

Faz sentido porque nos ensina também como alimentar a intuição e a capacidade de questionar tudo.

Se ficou curioso(a)? é bom sinal 🙂

Ainda bem! voltarei aqui com mais “Macrobiótica”… o mesmo é dizer, com mais de tudo que tenha a ver com Viver a Grande Vida 😉

um Macro beijinho

Teresa

PS: para aligeirar, para a próxima trago uma receita doce e simples. Acha que faz sentido? 🙂