Escrever…

ESCREVER…UM DIÁRIO

Escrever multiplica a clareza e a percepção…

(a propósito de no outro dia ter lido o diário dos meus 16 anos!)

Os cadernos vendidos como diários para os mais jovens apresentam-se com cadeados. Porque será? Sempre foram um fascínio para mim e de forma o mais despercebida possível tento passá-lo à Beatriz de 10 anos. A miúda, pispireta (como diria o meu pai) lá vai escrevendo ao mesmo tempo que diz – “isto é só meu! Ninguém pode ler!”. Fico feliz. Feliz também por hoje em dia se incentivar uma prática natural na minha juventude!

Por experiência própria, sei e sinto a escrita como uma das formas mais eficazes de processar emoções. As positivas ficam registadas, as negativas libertam-se! Escrever eleva-me a criatividade, reforça a aprendizagem, permite o planeamento e o estipular de objectivos, permite-me reviver momentos felizes, registar pequenas vitórias, libertar tristezas,agradecer, perdoar!

Um diário, mais do que um amigo, é também um local para desfazer confusões. Em tempos perplexos, esta é uma forma de ganhar maior lucidez e confiança em nós próprios.

Escrever à mão – li há pouco tempo – dá-nos motivação para sermos mais selectivos na escrita!Na idade adulta, talvez. Aos 16 anos ía tudo, mesmo tudo para o papel! Tenho muitos mais para ler e sei que ao fazê-lo vou ganhar uma maior compreensão de como cheguei até aqui.

Nunca é tarde demais para começar a escrever um diário.

Um dia, é a nossa vida em miniatura. Se escrever um diário, no final, terá a sua vida em livro. Já pensou nisso?

[/vc_column_text][/vc_column_inner][/vc_row_inner]

[/vc_column][/vc_row]